Encontro nº 5: Economia Compartilhada – Entrevista com Philippe Bihouix

  • Para auxiliar na reflexão do Grupo sobre um crescimento sustentável e rentável, o Presidente Mundial do Groupe PSA já deu início a um diálogo com especialistas representantes da sociedade civil.
  • Dentre as sete grandes tendências (7 mega trends) que moldarão o futuro da mobilidade, a quinta que abordaremos é a que se refere à Economia Compartilhada. Carlos Tavares conversou com Philippe Bihouix, membro do conselho de administração da empresa Momentum Institute (laboratório sobre a transição para um mundo pós-crescimento, pós-fóssil e transformado pelo clima) e autor de inúmeros livros e artigos sobre a gestão de recursos não renováveis.

 Assista à conversa com Philippe Bihouix.

 

Frases:

Carlos Tavares: “Estamos enfrentando muitos desafios, incluindo o uso correto dos materiais, e temos que encontrar várias soluções para resolvê-los. Mesmo que o Groupe PSA faça muitos esforços em termos de serviços de mobilidade, reciclagem, veículos com emissão zero, etc., a indústria automotiva deve fazer parte de uma mudança radical no modo de viver em nossas sociedades modernas.”

Philippe Bihouix: “O uso de matérias-primas e recursos não renováveis não diminuiu. De fato, a eficiência melhorada dos produtos desenvolvidos é contrabalançada por um aumento no consumo. Isso é verdade para a mobilidade. Com ofertas de carpooling, por exemplo, as pessoas viajam mais. O compartilhamento de veículos é uma solução relevante para o deslocamento, o que é inevitável, mas é apenas parte da solução.”

 

Esta conversa será seguida por encontros futuros sobre as outras grandes tendências: Autonomia e Conectividade.

A primeira tendência discutida foi a de Mudança Climática, com Hervé Le Treut (clique aqui para rever a conversa).

A segunda tendência discutida foi a de Evoluções do Comportamento do Cliente, com Martha Delgado (clique aqui para rever a conversa).

A terceira tendência discutida foi a Divergência dos Mercados, com Lionel Zinsou (clique aqui para rever a conversa).

A quarta tendência discutida foi a Transformação Digital, com Ben Waber (clique aqui para rever a conversa).

Ford testa nova tecnologia que ajuda o motorista a localizar vagas de estacionamento

A Ford apresentou na Europa uma nova tecnologia de veículos conectados desenvolvida em parceria com a Vodafone que ajuda o motorista a localizar vagas de estacionamento nos grandes centros urbanos – veja o vídeo.

O sistema, chamado Guia de Vagas de Estacionamento, faz parte de um amplo programa de teste de tecnologias de mobilidade, o KoMod, desenvolvido por um consórcio industrial na Alemanha com um aporte de 15 milhões de euros. Os veículos de teste são conectados a um sistema central de computadores que, a partir da sua localização geográfica, também dá informações em tempo real sobre o estado das vias e sinais digitais dinâmicos de trânsito.

Os estudos mostram que em grandes cidades como Londres e Frankfurt cerca de 30% do trânsito é causado por veículos à procura de espaço para estacionar, o que gera perda de tempo e dinheiro. Esse problema se deve não só à falta de vagas, mas também à dificuldade de encontrá-las.

“Os aplicativos de navegação são ótimos para nos ajudar a chegar ao nosso destino, mas não são tão eficientes na hora de estacionar, especialmente no centro das cidades”, diz Tobias Wallerius, engenheiro de Desenvolvimento do Produto da Ford Europa. “O Guia de Vagas de Estacionamento é uma tecnologia que pode ajudar o motorista a completar seu percurso mais rápido, economizando tempo e dinheiro, além de beneficiar a qualidade do ar”.

A Ford e a Vodafone demonstraram também outros recursos que estão sendo desenvolvidos dentro desse programa:

  • O sistema de assistência de semáforos, que mostra no painel do carro o tempo restante para os sinais à frente mudarem para vermelho ou verde. Esse aviso antecipado ajuda a evitar frenagens bruscas, aumentando a segurança, a economia de combustível e a fluidez do trânsito, já que os motoristas ajustam sua velocidade de modo conveniente.
  • O sistema de informação de túneis, que alerta sobre o fechamento de faixas, limites de velocidade e veículos lentos à frente.
  • O Vario Display, que mostra no painel eventos como maratonas, shows ou jogos de futebol, capazes de afetar o tráfego local.
  • Os sistemas de controle de tráfego, que ajudam a melhorar o fluxo de tráfego nas estradas, adaptando os limites de velocidade.
  • A transmissão inteligente de sinais de trânsito, que exibe o limite de velocidade e alertas de perigo diretamente no painel do veículo, usando uma conexão de celular.
  • O alerta de mau tempo, que permite a um veículo comunicar automaticamente as condições meteorológicas para os outros próximos. Se os limpadores de para-brisa detectam chuva, por exemplo, o veículo avisa os motoristas próximos, que assim podem ajustar sua velocidade ou rota.

Em testes feitos anteriormente, a Ford já demonstrou a tecnologia que alerta automaticamente os motoristas sobre acidentes na pista, exibindo a localização exata dos veículos de emergência próximos e a melhor maneira de sair do seu caminho. O objetivo das soluções testadas agora é permitir que o motorista tome as melhores decisões sobre o seu caminho. Mas a comunicação veículo-a-veículo e veículo-a-infraestrutura também poderá ter um papel importante no controle dos futuros veículos autônomos.

Para cada empresa fechada em 2019 outras três foram abertas, segundo Empresômetro

Maioria dos negócios criados e encerrados está na área varejista de vestuário

 

Julho de 2019 – Os últimos dados do Empresômetro, empresa brasileira de inteligência de mercado, mostram que para cada empresa que foi fechada este ano, três foram abertas.

“É uma tendência da economia brasileira. A busca pelo espaço no mercado, a necessidade de gerar renda e a facilidade de promover a regularização e cadastro de empresas faz com que o número aumente”, diz o CEO do Empresômetro, Otávio Amaral.

Nos últimos três anos, o comércio varejista de roupas e acessórios foi a atividade mais escolhida pelos empreendedores brasileiros, isso se reflete também na mortalidade das empresas.

“A consequência é a concorrência, o que, por sua vez, faz com que mais desses negócios fechem”, afirma Amaral, que acredita que até o final do ano esses números se mantenham.

Isso porque no ano de 2018 foram fechadas mais empresas do que abertas, um saldo negativo de 5%, mais de 2,4 milhões de cadastros foram encerrados naquele ano.

Desde 2014 a taxa de mortalidade foi subindo, até atingir o ápice no ano passado, mas 2019 começou com novo ânimo; além de mudanças na legislação, que trouxeram facilidades e redução da burocracia, e o contínuo acesso ao crédito.

“O que analisamos foi pura e simplesmente as empresas que tiveram seus cadastros no CNPJ encerrados, isto é, deixaram de existir de forma regular”, conta o CEO.

A média de crescimento dos últimos seis anos mostra que para cada empresa fechada, foram abertas 1,34. Veja a tabela comparativa abaixo.

 

ANO TOTAL DE EMPRESAS BAIXADAS TOTAL DE EMPRESAS ABERTAS
2014 567.368 1.193.401
2015 1.677.349 1.586.525
2016 1.420.367 1.717.190
2017 1.001.739 1.999.337
2018 2.478.767 2.345.345
2019 442.346 1.296.864

 

Para Amaral os dados somente ilustram um cenário comum em mercados como o das Américas, por exemplo, onde todos buscam uma oportunidade, mas nem sempre há o sucesso numa primeira empreitada.

“O empresário irá sofrer vários tombos pelo caminho, mas aquele que os superar e aprender com os erros irá prosperar, além de ajudar nosso país gerando renda e empregos”, conclui o empresário.

SOBRE O EMPRESÔMETRO                                                                                                                                      

O Empresômetro é uma empresa que oferece soluções de mercado B2B para toda empresa que almeja crescer com inteligência. Oferta soluções que utilizam a mais alta tecnologia da informação, garantindo segurança na tomada de decisão de gestores de grandes empresas, como também proporciona conhecimento de mercado para pequenas e médias empresas através da ferramenta online, Empresômetro Listas.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 2117-7300 ou pelo site www.empresometro.com.br