Atacado distribuidor acumula crescimento de 4,43% até outubro

Estudo ABAD/FIA mostra crescimento do setor positivo em todas as comparações pelo segundo mês consecutivo, ainda impulsionado pelo bom desempenho do varejo independente

De acordo com pesquisa realizada pela ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores), em parceria com a FIA (Fundação Instituto de Administração), o setor atacadista distribuidor acumulou até outubro crescimento nominal de +4,43%. Em relação a outubro de 2019, o avanço foi de +6,78%. Já em comparação ao mês de setembro, a alta atingiu +4,07%. A pesquisa é realizada com um grupo representativo de empresas do setor, que fornecem mensalmente seus dados para estudo.

Os dados deflacionados também são positivos e apontam em outubro avanço de +3,18% na comparação com o mês de setembro e de +2,76% na comparação com o mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano até outubro, o dado deflacionado é de +1,40%.

Emerson Destro, presidente da ABAD, destaca que o setor tem conseguido apresentar um resultado consistente de crescimento acima de 3% no acumulado do ano desde agosto, e ressalta que o segundo semestre tem dado indícios, até o momento, de que o crescimento de ´pode chegar até +4%, confirmando o bom momento do setor, impulsionado principalmente pelo desempenho do pequeno e médio varejo que ganhou a preferência do consumidor desde o início da pandemia.

Destro ressalva, contudo, que ainda há muito trabalho pela frente. “Estamos ainda em um momento delicado da economia. Se, por um lado, vemos uma tendência de crescimento se consolidar, tendo ainda a expectativa positiva do tradicional aumento de vendas para o fim do ano, por outro, precisamos levar em conta o fim do auxílio emergencial e o alto desemprego, ambos com impacto significativo na renda das famílias. Isso significa que os esforços extras do setor, no sentido de buscar eficiência nas operações e suporte adequado ao pequeno varejo, devem permanecer.”

O presidente da ABAD também voltou a destacar o papel do varejo de vizinhança e da boa parceria com a indústria no desempenho do setor. “Entendemos que o hábito de comprar em estabelecimentos próximos de casa deve permanecer, o que favorece o pequeno varejo de bairro, principal cliente do nosso setor. Da mesma forma, o diálogo estabelecido com a indústria já há alguns anos foi bastante aprofundado nesses meses de pandemia, estreitando ainda mais a nossa parceria, em benefício do varejo independente e do consumidor.”

 

Tabela

Faturamento – Período de análise:

Outubro – 2020

Nominal Real
MÊS X MÊS ANTERIOR +4,07% +3,18%
MÊS X MESMO MÊS DO ANO ANTERIOR +6,78% +2,76%
ACUMULADO NO ANO* +4,43% +1,40%

*em relação ao mesmo período do ano anterior

Fonte: Banco de Dados ABAD/FIA

 

Sobre a ABAD

A ABAD representa nacionalmente um setor que faturou mais de R$ 273,5 bilhões em 2019. Atendendo diariamente mais de um milhão de pontos de venda em todos os 5.570 municípios brasileiros, os atacadistas e distribuidores cumprem importante papel social, pois, além de dar capilaridade à distribuição de produtos industrializados essenciais por todo o território nacional, são responsáveis por movimentar as economias locais, gerando mais de 450 mil empregos diretos e 5 milhões de empregos indiretos nos estabelecimentos varejistas do país.

Salão Duas Rodas 2021

O Salão Duas Rodas está entre um dos três maiores eventos de motos do mundo, junto da maior expressão de cultura e lifestyle Duas Rodas para o público B2C e B2B. A adrenalina que corre pelas veias dos apaixonados pelo universo Duas Rodas está também no DNA do terceiro maior evento internacional de motos.

Já consagrado como uma das maiores feiras do setor, em 2021 é garantido que o SDR Brasil será o evento com a maior quantidade e maior diversidade de experiências do mundo. Além disso, grandes tomadores de decisão e clientes finais estarão acelerando os negócios do mercado junto do Salão Duas Rodas.

Estando entre os 3 maiores eventos do planeta, sendo referência para quem quer ver de perto as importantes novidades de motos e os cenários duas rodas, além de acessórios e equipamentos; ficar mais perto daquele sonho de consumo; conhecer verdadeiras máquinas futuristas; se inteirar de mobilidade urbana; passear com a galera e a família; curtir os tests-rides pilotando motos e se entreter com as incríveis atrações, o Salão Duas Rodas também proporciona MAIS emoção, MAIS interação e MAIS experiências.

 

Data: 16 a 21 de novembro de 2021

Local: São Paulo Expo

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1.5 – Água Funda – São Paulo

Seguro bicicleta tem crescimento de 162% durante a pandemia

Com apólices que cobrem roubo, furto, assistência 24horas, quebra de bike e acidentes, Seguralta comenta sobre o crescimento do segmento

Segundo os dados divulgados pela Datafolha, cerca de 38% dos brasileiros que não possuem um veículo próprio, acreditam que a bicicleta é o meio mais seguro para se locomover durante a pandemia do Covid19. Entre janeiro a julho, as vendas de bicicleta saltaram 30,6% no Brasil.

 

Como medida para evitar transportes e ambientes com aglomerações, as pessoas começaram a investir em bicicletas para lazer, exercícios e locomoção.

 

Devido à alta procura por bicicletas, o mercado de seguros nesse segmento teve um crescimento de 162% durante o segundo trimestre do ano.

 

A corretora de seguros, Seguralta, que está presente no mercado há mais de 50 anos, comenta sobre o crescimento desse segmento. “Normalmente o primeiro trimestre do ano para a indústria de seguros de bicicleta costuma ser aquecido devido às compras de fim de ano, mas a mudança de hábito dos brasileiros fez a procura disparar no segundo trimestre”, comenta o Diretor Comercial da rede, Nilton Dias.

 

A Seguralta oferece essa modalidade de seguro com coberturas que contemplam roubo, furto, assistência 24horas, quebra de bicicleta, acidente e responsabilidade civil. O seguro cobre todos os modelos de bicicleta, sejam profissionais ou os modelos mais simples.

 

O valor do seguro varia do modelo, do valor, das coberturas e das assistências que o assegurado deseja contratar.

Emplacamentos de veículos registram alta de 0,45% em novembro e têm o melhor resultado do ano

Vendas de Automóveis e Comerciais Leves crescem 4,4% em novembro,
na comparação com outubro.

A FENABRAVE – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou, nesta quarta-feira, 2 de dezembro, que os emplacamentos, de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), em novembro, apontaram alta de 0,45% sobre o mês de outubro. Este é o sétimo mês consecutivo de alta nas vendas este ano.

De acordo com o levantamento, que tem como base os dados do RENAVAM – Registro Nacional de Veículos Automotores, foram comercializadas 334.356 unidades, em novembro, ante 332.874, em outubro. Na comparação com novembro de 2019 (345.351 unidades), a retração foi de 3,18%.

Mesmo com novembro tendo um dia útil a menos (20 dias), em relação a outubro (21 dias), a trajetória de alta do mercado se manteve. Além disso, este crescimento fez com que o penúltimo mês do ano registrasse o melhor resultado de 2020, em volume de vendas, até o momento”, destaca o Presidente da FENABRAVE, Alarico Assumpção Júnior.

No acumulado de janeiro a novembro de 2020, 2.799.712 veículos foram emplacados, o que representa retração de 23,62% sobre o mesmo período de 2019 (3.665.298 veículos).

No ranking histórico (entre todos os meses de novembro, desde 1957), novembro/2020 está na 9ª posição e o acumulado de janeiro a novembro está na 15ª colocação.

Automóveis e comerciais leves

Em novembro, o segmento de automóveis e comerciais leves apresentou alta de 4,4% sobre outubro, com 214.265 unidades emplacadas, contra as 205.232 no mês anterior. Sobre o mesmo mês de 2019, a queda foi de 7,20% (230.885 unidades).

No acumulado de janeiro a novembro, o resultado aponta retração de 28,62%, totalizando 1.718.093 unidades, contra as 2.406.917 no mesmo período de 2019.

“Temos observado que, nos últimos meses, os clientes estão confiantes na tomada da decisão de compra, aproveitando o momento de crédito disponível e que, até os últimos dias de novembro, contou com a isenção do IOF nesse tipo de operação”, analisa Assumpção Júnior.

“Com relação ao atendimento da demanda, ainda observamos que a produção não retornou aos patamares de antes da pandemia, o que continua trazendo problemas na disponibilidade de alguns modelos, principalmente, por conta da falta de peças e componentes”, completa o Presidente da FENABRAVE.

Na apuração da entidade, o mês de novembro/2020 está na 10ª colocação histórica, entre todos os meses de novembro, para automóveis e comerciais leves, e o acumulado ocupa a 15ª posição, nesse ranking.

Caminhões

Em novembro/2020, o segmento de caminhões registrou alta de 13,23% (9.021 unidades) sobre outubro (7.967 unidades). Na comparação com novembro de 2019 (9.163 unidades), houve ligeira queda, de 1,55%. No acumulado de janeiro a novembro, os resultados de 2020 (79.572 caminhões emplacados) ficaram 14,81% abaixo dos registrados no mesmo período de 2019, quando foram vendidas 93.405 unidades.

“A melhora contínua da expectativa do PIB aumentou a demanda por caminhões nos últimos meses, mas a falta de componentes e peças continua afetando a produção. A maior oferta de crédito (aprovação de 7 para cada 10 solicitações de financiamento) e as taxas abaixo de 1% têm impulsionado as vendas, mas, com a defasagem na oferta, alguns modelos só serão entregues no segundo trimestre de 2021”, comenta Assumpção Júnior.

 

No ranking histórico, o mês de novembro de 2020 ocupa a 10ª colocação, para o mercado de caminhões. No acumulado, o mês ficou em 11º lugar, na série.

Implementos Rodoviários

Os emplacamentos de implementos rodoviários tiveram queda de 5,1% em novembro (6.405 unidades) sobre outubro/2020 (6.749 unidades). Na comparação com novembro de 2019 (5.260 unidades), houve alta de 21,77%. No acumulado de janeiro a novembro, os resultados de 2020 (60.024 unidades) ficaram 2,59% acima dos registrados em igual período de 2019 (58.506 unidades).

“O segmento de implementos rodoviários vem enfrentando desafios muito parecidos com o do setor de caminhões, em que a produção segue limitada, por falta de peças e componentes, fazendo com que a entrega de alguns produtos fique apenas para abril de 2021”, diz Assumpção Júnior.

Ônibus

Em novembro/2020, os emplacamentos de ônibus (1.744 unidades) registraram queda de 5,32% sobre outubro (1.842 ônibus emplacados). Na comparação com novembro de 2019 (2.229 unidades), o resultado foi 21,76% menor e, se considerarmos o acumulado de janeiro a novembro/2020 (16.668 unidades), a queda foi de 32,68% sobre igual período do ano passado (24.759 unidades).

“O segmento de ônibus vem sendo prejudicado pela queda no faturamento das empresas de transporte de passageiros, provocada pela pandemia. A produção também sofre com falta de insumos e componentes”, analisa o Presidente da FENABRAVE.

No ranking histórico, tanto o mês de novembro como o acumulado do ano estão na 13ª colocação, entre todos os meses de novembro, para o mercado de ônibus.

Motocicletas

As vendas de motocicletas registraram retração de 6,99% em novembro/2020, totalizando 89.440 unidades, contra as 96.160 emplacadas em outubro. Se comparado a novembro de 2019 (88.418 unidades), o resultado aponta alta de 1,16%. No acumulado de janeiro a novembro/2020, foram emplacadas 816.671 motocicletas, volume 16,96% menor que as 983.434 unidades vendidas no mesmo período de 2019.

“Como efeito da pandemia, observamos a consolidação do uso comercial da motocicleta no transporte de bens e mercadorias, além, é claro, da sua utilização como transporte individual, por conta da segurança em relação à maior exposição ao contágio, no transporte coletivo. Outro fator positivo para o segmento é a oferta de crédito, que vem se mantendo em um bom nível (em média, quase 6 cadastros aprovados a cada 10 propostas apresentadas). A falta de peças ainda preocupa os fabricantes, mas as montadoras conseguiram reduzir o prazo médio de entrega, de 37 dias (em outubro) para 25 dias (em novembro)”, avalia Assumpção Júnior.

No ranking histórico das vendas de motos, o mês de novembro/2020 está na 12ª colocação entre todos os meses de novembro, e o acumulado deste ano ocupa a 15ª posição na série.

Tratores e Máquinas Agrícolas

Por não serem emplacados, os tratores e as máquinas agrícolas apresentam dados com um mês de defasagem, pois dependem de levantamento junto aos fabricantes.

Em outubro/2020, as vendas de tratores e máquinas agrícolas (4.673 unidades) registraram queda de 2,65%, na comparação com o mês de setembro (4.800 unidades).

Ante outubro de 2019 (3.950 unidades comercializadas), no entanto, houve alta de 18,3%.

No acumulado do ano, de janeiro a outubro/2020, houve crescimento de 0,98% sobre o mesmo período de 2019. Em 2020, foram comercializadas 37.292 unidades, contra 36.931, em 2019.

“Impulsionado pelo crédito, pelas perspectivas de crescimento de área plantada e pelas vendas no mercado futuro, o segmento de tratores e máquinas agrícolas vive um bom momento, mas notamos que vem se agravando o impacto negativo, causado pela falta de peças e componentes na indústria, fazendo com que alguns modelos tenham sua programação de entrega para entre fevereiro e março de 2021”, diz o Presidente da FENABRAVE.

Projeções

Apesar da melhora contínua nos resultados de emplacamentos, nos últimos 7 meses do ano, a FENABRAVE não revisou as projeções para 2020, cujo fechamento e resultado final serão anunciados no início de janeiro de 2021.

“Podemos sofrer impactos negativos nas vendas, em função do fim antecipado da alíquota zero de IOF e de estados, como SP, que respondem por mais de 25% do mercado nacional, terem voltado à fase amarela, o que reduz o volume de clientes atendidos em loja, assim como a carga horária de funcionamento das Concessionárias”, observa o Presidente da FENABRAVE.

Para 2021, a entidade divulgará, em janeiro, as perspectivas preliminares.

Acompanhe, na tabela a seguir, os dados de emplacamentos de veículos NOVOS para cada segmento automotivo.

Aplicativo Auto Busca amplia o catálogo para mais de 9.000 peças

  • Com a adição de 1.700 novos produtos, o catálogo do app agora oferece mais de 9.000 itens
  • O portfólio inclui peças das marcas Ford, Motorcraft e Omnicraft, aplicáveis a veículos de anos-modelo 2002 a 2020
  • Devido ao grande sucesso, a campanha de Black Friday foi prorrogada até 4 de dezembro

 

O Auto Busca, aplicativo de venda de peças da Ford para oficinas e reparadores independentes, adicionou 1.700 novas peças ao catálogo, que agora conta com mais de 9.000 itens das marcas Ford, Motorcraft e Omnicraft, aplicáveis a veículos de anos-modelo 2002 a 2020.

Neste novo lote, foram priorizadas linhas de produto que possuem maior representatividade no parque circulante Ford e com maior demanda por parte dos reparadores.

“O Auto Busca teve um crescimento importante no segundo semestre, mostrando ser um facilitador de todas as etapas da jornada de aquisição de peças. Ele oferece peças de qualidade, preços competitivos, entrega rápida e facilidade de pagamento para otimizar o trabalho e a rentabilidade das oficinas”, diz Verônica Carmelini, supervisora de Marketing e Comunicação de Serviço ao Cliente da Ford.

“Os resultados obtidos desde o lançamento do app demonstram que essa é uma iniciativa inovadora. Além de oferecer oportunidade de novos negócios para todos os elos da cadeia de reposição, posiciona a Ford como uma empresa pioneira na jornada de compra digital”, completa a executiva.

O Auto Busca já atende os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e as regiões de Natal (RN), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Goiânia (GO), Florianópolis e São José (SC). Em breve estará disponível também em outras cidades. É possível fazer o download do app no Google Play. Outras informações, assim como os CEPs já atendidos pela plataforma, estão disponíveis no site Reparador Ford (www.reparadorford.com.br).

Expansão

O Auto Busca completou pouco mais de um ano de lançamento e segue em expansão de cobertura de nacional e também de portfólio.

O mix de produtos é formado principalmente por peças Ford e Motorcraft, além dos itens Omnicraft que são aplicáveis a veículos de outras montadoras. Recentemente foram adicionados ao catálogo 200 pneus em parceria com grandes marcas do segmento, oferecendo mais uma categoria de alto giro para os usuários.

Black Friday

Devido ao grande sucesso da ação de varejo promovida pelo Auto Busca, a campanha será prorrogada até o dia 4 de dezembro, com a disponibilização de vouchers de desconto de R$ 70 em compras acima de R$ 300. Além disso, os descontos de até 50% continuam até a mesma data, especialmente para itens de freio, arrefecimento e bateria. 

 

Sobre a Ford Motor Company

A Ford Motor Company é uma companhia global sediada em Dearborn, Michigan. A companhia projeta, fabrica e comercializa uma linha completa de carros, picapes, SUVs, veículos eletrificados e veículos de luxo da marca Lincoln, além de fornecer serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company, e está buscando posições de liderança em eletrificação; soluções de mobilidade, incluindo serviços de condução autônoma; e veículos conectados. A Ford emprega aproximadamente 187.000 pessoas em todo o mundo. Para mais informações e notícias sobre a Ford Brasil, visite o site https://media.ford.com