Microsoft realiza maior evento digital da América Latina para ecossistema de parceiros

A Microsoft realizará nos próximos dias 24, 25 e 26 de agosto o LATAM Virtual Partner Connection (VPC), maior evento digital da companhia na região voltado aos parceiros. Realizado em português, o VPC contará com mais de 70 sessões mediadas por especialistas da Microsoft de diferentes indústrias e segmentos, que abordarão as principais tendências digitais para os próximos meses, além de orientações para inovação e desenvolvimento de soluções para o fortalecimento e impulsionamento do mercado.  

Apenas no Brasil, são mais de 25 mil parceiros da Microsoft que poderão usufruir de conhecimento nas sessões técnicas, comerciais e por indústria, e se conectarem às novidades que devem ser referência no uso da tecnologia. “O Latam Virtual Partner Connection é fundamental para o nosso alinhamento com o ecossistema de parceiros. Acreditamos que nenhuma transformação se faz sozinha e, dessa forma, conseguimos seguir com o propósito de apoiar a evolução tecnológica na região e trocar conhecimento com o nosso ecossistema que é fundamental para ampliar a capilaridade da inovação, ampliando o seu alcance”, comenta Danni Mnitentag, vice-presidente de parceiros e canais da Microsoft Brasil.  

O evento está aberto para inscrições por meio da sua página oficial.   

Conheça o processo de antifraude e como ele tem auxiliado negócios digitais

Com o aumento no número de negócios realizados de forma online, sejam compras, pagamentos ou investimentos, surgem ótimos resultados, como o aumento na confiança sobre pagamentos online, que levou 7,3 milhões de brasileiros a comprar online pela primeira vez no primeiro semestre de 2020, segundo um levantamento Ebit/Nielsen.

Por outro lado, surgem também pontos de atenção, como meios de pagamento disponíveis, canais de atendimento ao cliente e, é claro, o risco de fraudes. De forma objetiva, a fraude é uma ação ilícita que busca enganar uma pessoa ou instituição. Na prática, existem diversos tipos de fraudes, como falsificar documentos de identidade, gerar boletos falsos e enviar para o e-mail da vítima, clonar cartões de crédito, roubar dados em sites enganosos, entre outros.

Para que as empresas se protejam desse tipo de situação, é importante implementar uma estratégia antifraude. Além de evitar prejuízos financeiros, uma prática para prevenção de fraudes garante maior segurança, aumenta a credibilidade do negócio e proporciona maior satisfação aos clientes. Nesse cenário, três estratégias ganham destaque na prevenção de fraudes: Validação cadastral; OCR; e Face Match.

Validação cadastral

A validação cadastral é uma forma de autenticar a identidade de um determinado usuário para evitar que golpistas acessem informações sigilosas. Esse método consiste em processar dados recebidos e verificá-los para avaliar sua veracidade. Atualmente, existem sistemas especializados em realizar a validação cadastral com a ajuda da tecnologia.

OCR

OCR é sigla de Optical Character Recognition, uma tecnologia de checagem rápida de dados. Na prática, ela permite converter artigos digitalizados em textos editáveis. Com isso, é possível apenas copiar as informações e colá-las em um sistema de busca para avaliar a veracidade dos dados. O OCR torna o processo antifraude mais ágil, economizando tempo de clientes e empresas.

Face Match 

O Face Match é, como o nome indica, um sistema tecnológico baseado no reconhecimento facial. Esse método consegue analisar o rosto de uma pessoa e avaliar se ele corresponde ao cadastrado no sistema. Assim, se alguém que não possui as características da pessoa cadastrada tentar entrar no sistema, a tecnologia não permite que o golpista tenha acesso às informações guardadas. Trata-se de uma metodologia moderna e segura que permite autenticar a identidade dos usuários com rapidez.

Data Engine e Guide Investimentos

O Data Engine é uma solução da Cedro Technologies que auxilia empresas a evitarem fraudes, por meio de diferentes processos de consulta e validação de informações. Uma das funcionalidades que reduz o risco de fraudes é a validação cadastral. Enquanto o cliente realiza o cadastro no site, o Data Engine, simultaneamente, faz consultas em fontes diversas, que irão validar a autenticidade dos dados.

Um dos clientes que utiliza o Data Engine desde 2017 para a prevenção de fraudes é a Guide Investimentos. Com a solução, a empresa do setor financeiro modernizou o cadastro online de clientes e também o processo de validação cadastral. Essa mudança tornou o Data Engine a principal ferramenta no processo cadastral da Guide.

De acordo com a Gerente de Cadastro Institucional da Guide Investimentos, Ingrid Vital, ainda houve redução de erros no cadastro e mais agilidade, de forma que o tempo total de cadastro na Guide, do onboarding até a validação e aprovação, dura em média 10 a 12 minutos.

Além de ajudar empresas a reduzirem fraudes, o Data Engine simplifica processos de compliance e validação cadastral. Com mais de 2 mil clientes ativos, 60 mil validações cadastradas, 130 mil dossiês gerados e 103 fontes de dados disponíveis para os usuários, ele é a plataforma de automação de processos que mais cresce no mercado.

Cada vez mais humanizados, chatbots melhoram resultados das empresas

Os chatbots, desenvolvidos para interagir com humanos em conversações por texto, estão entre as tecnologias que vêm se destacando no mundo dos negócios graças à crescente demanda dos consumidores por uma experiência digital 24 horas por dia, 7 dias por semana, o que se intensificou por conta da pandemia da Covid-19.

De acordo com o Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots 2020, o uso de inteligência artificial no relacionamento entre empresas e clientes ganhou ascensão no último ano.  De 60 mil passou para 101 mil o número de robôs de conversação no Brasil só em 2020, um aumento de 68%. E, segundo pesquisa da Grand View Research, de abril de 2021, o uso de chatbots deverá crescer 24,9% de 2021 a 2028 no mundo. 

Outro fator que contribui para o aumento do uso desta tecnologia é a redução dos custos operacionais e a melhora no desempenho das empresas, uma vez que são baseados em Inteligência Artificial e Machine Learning, tecnologias que vêm sendo aprimoradas, com custo final cada vez mais atraente, o que só ajuda no avanço da utilização pelas empresas.  

“Os consumidores precisam de atendimento efetivo, imediato e atemporal, não apenas no horário comercial. Os chatbots são as opções viáveis para resolver esse problema, já que podem responder instantaneamente milhares de perguntas ao mesmo tempo, proporcionando uma comunicação contínua com o cliente”, comenta Kiko Carvalho, CMO da Olos Tecnologia, empresa especializada na automação do relacionamento entre clientes e empresas.

Ele explica que o Olos Chatbot pode ser integrado à plataforma omnichannel da Olos, o OlosChannel, que reúne em uma única suíte, diversos canais de atendimento nos mundos voz e texto, como Ligações telefônicas, WhatsApp, Facebook Messenger, SMS bot, Skype, Telegram e o Webchat do site.

“Nossa solução permite o desenvolvimento de chatbots personalizados, e de acordo com o negócio do cliente. Usamos diálogos predefinidos e customizados para promover o autoatendimento por meio de linguagem natural integrada à inteligência artificial. Também criamos personas, com nome e perfil sob medida, gerando maior identificação com a marca e afinidade para se relacionar com a mesma, tudo para gerar um ambiente propício para o fechamento de negócios”, elucida Carvalho sobre a solução.

A plataforma omnichannel da Olos permite que todos os canais de atendimento possam ser integrados, deste modo, o histórico do atendimento fica armazenado, mesmo que a conversa com um cliente tenha iniciado pelo SMS ou Ligação telefônica, terminando no Whatsapp, por exemplo.

Outra inovação, foi o lançamento do primeiro bot não binário do Brasil. Batizado de Lupi, é o primeiro assistente virtual caracterizado por gênero neutro, idealizado para promover a diversidade também no ambiente virtual.

“Conseguimos criar um robô que não é simplesmente um chatbot com respostas fechadas. Ele está preparado para dar respostas semiabertas, consegue tratar e entender o que o cliente deseja. A partir dessas informações que ele colhe, conseguimos dar um atendimento personalizado e sugestões das melhores opções de produtos ao cliente”, explica Bruno Rey, CSO da Olos.