Microsoft, Enap e Universidade Georgetown promovem 5ª edição do curso de Inovação, Liderança e Governança Digital para altos executivos públicos

A Microsoft, em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e a Universidade Georgetown, promove durante os meses de agosto e setembro a 5ª edição do curso de Inovação, Liderança e Governança Digital (ILG). O programa tem como foco inovação no setor público, governança digital, novas tecnologias para melhoria de serviços públicos, liderança, transparência e responsabilidade e oferece parâmetros analíticos e ferramentas para formular e implementar políticas públicas inovadoras para que altos executivos públicos se tornem agentes de transformação no Estado. 

Por conta da pandemia da Covid-19, as aulas estão acontecendo de forma remota e tiveram início em 17 de agosto, com final previsto para 16 de setembro. Com aulas ministradas por renomados professores de Georgetown, além de professores adjuntos, o curso está promovendo debates sobre diversos temas relevantes como liderança e inteligência emocional, tecnologia e inovação no setor público, melhores práticas em governança digital e políticas de tecnologia, negociação e comunicação com stakeholders, tomada de decisão em política pública, inovação para o desenvolvimento e comunicação de crises. 

Como parte do curso, os alunos visitam virtualmente o Centro de Transparência da Microsoft em Brasília. Neste mesmo dia, executivos da Microsoft falarão sobre transformação digital, Inteligência Artificial, o papel da Tecnologia na inovação e transformação do serviço público. O executivo Ronan Damasco, diretor de tecnologia da Microsoft Brasil, falará sobre Inteligência Artificial para o setor público e em seguida Elias Abdala Neto, diretor de políticas públicas da Microsoft Brasil, discorrerá sobre a Lei Brasileira de Proteção de Dados. Marcelo Zillo Neto, Chief Security Advisor da Microsoft, falará sobre Cibersegurança e, por fim, Gretchen Deo, diretora de políticas públicas, inovação aberta e propriedade intelectual da Microsoft destacará as iniciativas promovidas pela companhia nas áreas de Sustentabilidade e Open Data. 

“A parceria com a Enap e a Universidade Georgetown já dura cinco edições e reitera a importância da tecnologia como ferramenta primordial para apoiar na gestão do setor público. Por meio desse curso, conseguimos entender as possibilidades e desafios desses profissionais, além de compartilhar conhecimento sobre as mais recentes ferramentas digitais e técnicas de gestão para políticas públicas”, comenta Alessandra Del Debbio, Vice-Presidente Jurídica e de Assuntos Corporativos da Microsoft Brasil.  

Vladia Pompeu, Advogada-Geral da União Adjunta na Advocacia-Geral da União (AGU), participou da formação há cerca de dois anos e comenta que a experiência foi muito interessante por ter foco em inovação, habilidade muito exigida atualmente para profissionais do setor público. “Esse curso possui uma importância muito atual no dia a dia da administração pública, que ainda está se adaptando em relação a utilização de ferramentas desse tipo. Eu aprendi a utilizar essas novas tecnologias para fortalecer os mecanismos na implementação de políticas públicas e já consegui, desde então, aplicar na prática muitos dos princípios apresentados. Fortalecendo as competências de liderança individual, a formação ajuda na criação de líderes transformacionais e agentes de mudança”, conclui. 

“Lembro como se fosse hoje de ter participado da segunda edição do programa Inovação, Liderança e Governança Digital (ILG). Valorizo cada minuto que passei em sala de aula, porque foi uma das experiências de aprendizagem mais marcantes da minha trajetória profissional. A parceria entre Enap, Microsoft e Georgetown University é certamente o diferencial para o sucesso de um programa tão duradouro e estabelecido como o ILG. É por meio desta parceria de anos que o programa se reinventa em todas as edições e é referência no desenvolvimento de lideranças do setor público para a transformação digital. Ter cursado o ILG há mais de três anos e hoje ocupar a posição de coordenador da equipe que implementa o programa aqui na Enap é ainda mais gratificante”, comenta João Vitor Domingues, Coordenador-Geral de Capacitação de Altos Executivos da Enap. 

“O Programa de Inovação, Liderança e Governança Digital (ILG) é projetado especificamente para os tomadores de decisão em todos os níveis de governo. Os participantes do programa obtêm as estruturas e ferramentas mais recentes para desenvolver, implementar e avaliar políticas públicas de alto impacto e se tornarem agentes de mudança em suas comunidades. Nossa parceria com a Microsoft, desde o início do programa, tem sido fundamental para capacitar líderes de políticas públicas a alavancarem a tecnologia mais recente para o benefício da sociedade”, comenta Ricardo Ernst, Baratta Chair em Negócios Globais da Universidade Georgetown, Diretor Executivo do Conselho Latino-Americano da universidade e ex-vice-reitor da McDonough School of Business. 

O curso está sendo ministrado em inglês e tem como metodologia apresentações teóricas e discussões em grupo, com o objetivo de auxiliar os participantes a fortalecer os princípios de governança e analisar os desafios emergentes para desenvolver novos parâmetros para a entrega de serviços e políticas públicas, bem como fornecer ferramentas para a elaboração e avaliação de políticas públicas com alto impacto para a sociedade, entre outros objetivos. Puderam se inscrever servidores públicos ocupantes de cargos FCPE ou DAS 4, 5 ou 6, ou NES, do executivo federal, ou cargos equivalentes nos outros poderes e esferas de governo. 

IAB NEXT 2021 apresenta as principais tendências do futuro da publicidade digital no Brasil

Segunda edição do evento começa em 2 de setembro e conta com importantes nomes do setor que apresentarão as últimas novidades do mercado de publicidade digital

O IAB Brasil, associação que representa o mercado de publicidade digital no País, tem o prazer de anunciar a 2ª edição do IAB NEXT 2021, evento que aborda as principais tendências, inovações e insights sobre o mercado da publicidade digital no mundo. Neste ano, o evento, no formato online, será 100% gratuito e ocorrerá nos dias 2, 16, 23 e 30 de setembro, das 9h às 12h.

O formato do evento foi todo estruturado e pensado para o ambiente digital, levando em conta o comportamento do usuário e a usabilidade da plataforma. Tudo com o objetivo de promover uma melhor experiência das pessoas durante as palestras e debates.

Em cada dia, o IAB NEXT 2021 terá um tema central com palestra de um especialista internacional, seguido por painéis de debates sobre o que há de mais inovador no mercado da publicidade digital nacional e suas tendências para os negócios.

A edição deste ano contará com a participação de grandes especialistas do setor, como Orchid Richardson – Vice-Presidente do Data Center of Excellence do IAB US e TechLab, Angelina Eng – VP of Measurement & Attribution do IAB, David Cohen – CEO Global do IAB e Randall Rothenberg – Executive Chair do IAB.

Outro destaque durante o IAB NEXT 2021 será a apresentação em primeira mão dos dados exclusivos sobre investimentos em mídia digital em 2020, a partir de pesquisa em parceria com a Kantar IBOPE Media.

“Em meio a tantas novas possibilidades, tecnologias e formatos, o nosso principal objetivo é apontar um olhar para o futuro, inspirando o mercado a se atualizar e estar preparado para a evolução do setor ” diz Cris Camargo, CEO do IAB Brasil.

O público esperado é de profissionais de áreas como publicidade e marketing digital, empresas anunciantes, agências e veículos de comunicação, de plataformas e tecnologia do mercado nacional, estudantes e entusiastas do setor.

O IAB NEXT 2021 é organizado pelo IAB Brasil e sua realização ocorre graças à participação de empresas apoiadoras e patrocinadoras do evento: Globo, Mercado Ads, OneTrust Brasil, Pluto Tv, Twitter, Facebook, Google e TikTok. O apoio é: Baptista Luz Advogados, GDB, Kantar IBOPE Media e UOL.

Todas as informações sobre o IAB NEXT 2021 podem ser conferidas no site oficial do evento.

SERVIÇO:
Evento: IAB NEXT 2021
Quando: Dias 2, 16, 23 e 30 de setembro
Horário: das 9h às 12h
Local: Online
Valor: Gratuito
Inscrições: No link do evento

Gestão inteligente de processos ajuda as empresas na transformação digital

Cultura de inovação valoriza os processos internos e traz mais qualidade de vida e produtividade nas equipes

A transformação digital é muito mais do que apenas começar a vender pela internet ou parar de imprimir em papel e colocar os dados na nuvem. A mudança envolve utilizar tecnologias digitais em todas as áreas e processos das empresas e vai desde a forma como a organização atrai o cliente e se relaciona, até como gerencia os seus processos, sejam eles de produção ou administrativos.

Não tem como negar, a pandemia de Covid-19 acelerou o processo de transformação digital nas organizações, até como forma de sobrevivência do negócio. E o número de empresas que tiveram que se adaptar rapidamente a um novo cenário focado em tecnologia e inovação deu um salto no último ano. De acordo com uma pesquisa realiza pela CESAR – um dos maiores centros de inovação do país – mostrou que 23% das empresas que participaram do estudo concordaram que a transformação digital se tornou prioridade máxima no planejamento estratégico, tendo um aumento de 7,3 pontos percentuais em relação a 2019. 

Após identificar vários problemas de informações descentralizadas, baixa produtividade e muita refação, que geravam frustação na equipe e também prejuízos, a agência de marketing digital Evonline repensou em seu negócio e adotou uma cultura de inovação, em uma gestão mais inteligente dos processos. “Percebemos que os métodos que utilizávamos não eram efetivos o suficiente para mudar este cenário, até que houve a compreensão que precisávamos nos adaptar às novas tendências tecnológicas. Uma cultura organizacional alinhada e objetivos em comum, facilitam muito a implantação de novas tecnologias e favorecem o crescimento da empresa de forma estruturada”, explica Karen Patrícia Marchini Nowak, sócia da Evonline.

Ainda de acordo com a empresária, a transformação digital está sendo um processo de muitos avanços para a empresa e ela já sente um aumento considerável na produtividade e na organização dos fluxos de trabalho. “Percebemos claramente um rompimento de barreiras regionais que antes impediam muitos fechamentos de negócios. Novas oportunidades em outras regiões surgiram devido à aceitação dos clientes em substituir reuniões presenciais por on-line. Também tivemos que adaptar os nossos processos para envolver o trabalho remoto e, com isso otimizamos ainda mais nossas etapas de trabalho”, pontua. 

Uma boa ferramenta de gestão de equipes é fundamental no processo de transformação digital 

Não foi apenas o desejo de mudança que fez com que a Evonline se transformasse digitalmente. A utilização de uma plataforma de gestão de equipes evitou que os trabalhos internos ficassem desorganizados e melhorou em muito a qualidade e o prazo das entregas, além de resolver o problema da comunicação interna, unindo todos os setores da empresa. “Em 18 anos de empresa, implantamos muitos métodos e ferramentas de trabalho na tentativa de melhorar nossos processos, mas nenhum se compara com o que conseguimos nos dois últimos anos com a Ummense. Melhoramos nossa organização e produtividade, gerando um aumento de lucratividade de mais de 120% nos primeiros 12 meses”, ressalta Patrícia.

A startup Ummense é uma ferramenta de gestão de equipes, utilizada pela agência Evonline e já possui mais de 20 mil empresas cadastradas. Voltada especialmente para equipes de micro, pequenas e médias empresas e oferece uma plataforma de gestão que funciona como um Kanban Digital, organizando todas as informações, arquivos, tarefas e a comunicação da equipe. No processo de transformação digital, os clientes da Ummense organizam e centralizam etapas de diversos setores da empresa, concentrando as informações em único lugar e que podem ser acessadas via desktop ou aplicativo.

Para começar a usar a plataforma, não é necessário ter processos estruturados na empresa, é o que afirma Raul Sindlinger, CEO e cofundador da Ummense: “Para começar, sempre indicamos começar organizando as informações e projetos em fluxos básicos por equipe, simplesmente separando em colunas o que precisa ser feito, o que está sendo feito agora, e o que está pronto. Depois disso a empresa pode evoluir para processos mais elaborados, aproveitando as automações, formulários e outros recursos para ganhar produtividade.”

A transformação digital efetiva, além de aumentar as vendas e melhorar a produtividade, pode gerar também mais qualidade de vida no trabalho. “Organizar as informações em uma ferramenta eficiente faz com que todos os colaboradores saibam o que precisam fazer, quando precisam entregar e quais são as informações e especificações do seu trabalho, além de poder poupar algumas horas do seu dia com automações de etapas repetitivas. E os gestores podem saber em tempo real tudo o que acontece na empresa, responder à equipe de forma organizada, garantindo que as informações não serão perdidas, e de que o cliente será bem atendido. Isso traz qualidade de vida no trabalho, esse é o propósito da Ummense.” ressalta Sindlinger, da Ummense. 

A era do caos dos dados – e sua possível solução

O gerenciamento de informações em pequenas e grandes empresas nunca foi tão difícil quanto hoje. Isso porque, a cada ano que passa, a quantidade de novas informações cresce exponencialmente, problema que se torna ainda maior com a explosão de diversos canais de comunicação. A luta em busca das soluções é universal, levando a uma dor compartilhada entre diversos líderes empresariais. Na Kodak Alaris, chamamos essa dor de “caos de dados”.

No livro “Big data: The next frontier for innovation, competition, and productivity”, de 2011, James Manyika já previa essa situação.  Na obra, o autor alerta que em 2020 já seríamos capazes de preencher 8 trilhões de DVDs com novos dados todo ano.

Outro fator que intensifica o problema do gerenciamento de informações é o fato de grande parte desses novos dados serem não-estruturados (sem estrutura de organização).  Isso dificulta que as empresas de todo o mundo consigam obter informações significativas a partir deles.

Esse problema já existe há alguns anos (em 2015, a quantidade de dados não estruturados já era mais do que 4 vezes maior do que a dos estruturados), e continua crescendo. Com esse caos de dados cada vez mais aparente, são muitos os impactos nos processos de negócios:

  • O excesso de confiança em papéis e inputs manuais leva ao acúmulo de informações;
  • A lentidão nas configurações gera clientes insatisfeitos;
  • A empresa torna-se incapaz de lidar com a grande quantidade de informações, o que leva a gargalos produtivos;
  • A lentidão nos processos de pagamento faz com que ocorra o atraso nas iniciativas do negócio;
  • As práticas de arquivamento desconectadas e desorganizadas levam a uma falta de conformidade e consistência.

Com isso, as empresas perdem em eficiência, produtividade, agilidade e continuidade nos negócios, além de ter um aumento nos custos, na frequência de erros e no desperdício de tempo e recursos. Essa situação ainda gera um menor valor no ciclo de vida dos clientes e uma maior rotatividade dos consumidores.

Uma forma de melhorar esses problemas é utilizando soluções digitais, como já disponíveis no mercado. Com o auxílio delas para domar o caos de dados, as empresas veem uma melhora de 5 a 6% na produtividade e consequentemente no lucro. Pensando nas opções para agilizar ao mesmo tempo em que mantém a segurança necessária para os dados envolvidos nas operações, as soluções Kodak Alaris oferecem velocidade no processamento de documentos; confiabilidade; integração; clareza de imagens digitalizadas e gestão facilitada, com uma gama de scanners de produção de alta capacidade de digitalização e qualidade desde o início do processo de negócio. Com softwares de captura de imagens como Capture Pro, InfoInput e Infuse, por exemplo.

 

Brasil conta com mais de 82,6 milhões de usuários no universo digital de games

● Pesquisa da Comscore revela que a categoria alcança mais de 65% da população digital no Brasil

● Games está entre as Top 15 categorias em número de visitantes únicos no País

● É a 5ª categoria na classificação em relação a tempo de consumo, com mais 43 bilhões de minutos assistidos ao mês

A Comscore apresenta os resultados da pesquisa O mercado de games no Brasil, que traz insights sobre como a categoria de games engaja sua audiência em uma análise das preferências, demografia e comportamento dos usuários. As informações foram apuradas com base em pesquisas proprietárias e métricas de ferramentas confiáveis, que projetam um grande potencial para o setor gamer no Brasil. Com mais 82,6 milhões de usuários, a categoria está entre as Top 15 principais em número de visitantes únicos.

O relatório identificou que a população digital brasileira é composta por aproximadamente 126,4 milhões de internautas. Desse total, mais 65% se conectam ao universo digital de games, 60,9 milhões utilizam apenas dispositivos móveis, 7,3 milhões acessam os jogos por mais de uma plataforma e 14,3 milhões se conectam apenas pelo desktop. Em relação ao tempo consumido, games é a 5ª categoria na classificação, com mais 43 bilhões de minutos no mês.

“O mercado de games no Brasil segue em constante expansão e mostra-se cada vez mais dominante. O país é o 4° maior mercado em usuários únicos no mundo na categoria de jogos on-line, e se mostra como a nação de maior alcance entre os usuários na América Latina. Isso mostra que continuamos sendo um importante mercado potencial para a indústria”, comenta Eduardo Carneiro, diretor geral da Comscore no Brasil.

Outro destaque do relatório aponta que a Twitch.tv, a maior plataforma de streaming de Live Games do mundo, adquirida em 2014 pela Amazon, é a líder em acesso entre as plataformas de transmissão de games online. Por meio dela, pessoas gravam a si mesmas em jogos on-line e compartilham sua performance com uma audiência ao vivo. O estudo indica ainda que o tema de online video games movimentou 664 milhões de impressões nas redes em dispositivos desktop em 2021.

O perfil do gamer brasileiro e suas preferências

Os dados da Comscore mostram que o público gamer no Brasil atualmente é formado 50,3% por homens e 49,7% por mulheres, mostrando mais equidade entre gêneros dos jogadores. Essa quebra de paradigmas no perfil do gamer brasileiro direciona a novas oportunidades para a indústria de jogos on-line, fugindo da exclusividade masculina. 

Além disso, o estudo aponta que, em relação ao tempo consumido na categoria, as mulheres consomem 10% a mais de tempo em games no mês do que os homens. O consumo entre as mulheres de 35+ é 51% maior do que o dos homens dessa faixa etária. Contudo, na faixa mais jovem, os homens de 18-24 anos passam 70% a mais do tempo na categoria.

“A indústria de games ainda tem uma abordagem de mercado predominantemente focada ao público masculino. No entanto, este estudo da Comscore mostra a crescente participação do público feminino nessa categoria. Por isso, as empresas que criam diálogos com consumidores gamers precisam ter um olhar mais abrangente para engajar diferentes perfis e se manterem releventes”, enfatiza Carneiro.

Empresas de jogos eletrônicos que mais fazem sucesso no Brasil

Outro recorte do relatório da Comscore analisa as marcas de destaque no mercado brasileiro. Os destaques variam entre o público feminino e masculino. Entre as mulheres, a Activision Blizzard, que assina jogos como Candy Crush, Farm Heroes e Call of Duty, fica em primeiro lugar, seguida por ROBLOX.COM, Google Play Games, MOONACTIVE.COM e Garena Online. Já entre os homens, as preferidas são, por ordem no ranking, ROBLOX.COM,  Google Play Games, Garena Online, Twitch.tv e Activision Blizzard.

O estudo também indica uma alta audiência de games nos dispositivos móveis, nos quais o número de visitantes únicos chegou a 62,5 milhões em maio de 2021.  A lista dos 10 top apps para 2021 é composta por: Activision Blizzard, Google Play Games, Garena Online, MOONACTIVE.COM, ROBLOX.COM, Supercell, PLAYRIX.COM, Zynga, MINICLIP.COM e Mojang.

Além disso, a pesquisa mostra que 67% dos influenciadores de games estão no meio mobile, o que originou um aumento de 18% no tempo consumido nesses canais e queda de 21% no total de minutos acessados por aparelhos desktop. Entre as propriedades mais acessadas por esses influenciadores, a Webedia Sites é o segundo principal player em tempo de audiência, perdendo somente para o Google Sites. Quanto ao perfil, a análise da Comscore indica que os influencers de games são majoritariamente homens das classes sociais ABC.

A categoria games nas redes sociais

A indústria de jogos é composta por empresas de videogames, times de E-sports, influenciadores e plataformas de streaming. Nas redes sociais, esses temas movimentaram 64,4 milhões, 27,5 milhões, 126,6 milhões e 841 milhões de ações, respectivamente. O que mostra o grande impacto da categoria no ambiente digital. No relatório da Comscore, o Instagram aparece como a plataforma com maior share dessas ações. A rede contabilizou um aumento de mais de 226% no volume de branded contents no primeiro semestre de 2021, enquanto no Facebook houve decréscimo de 60%.

O Twitter aparece como destaque para as ações voltadas aos influenciadores do universo gaming. A rede foi identificada como a plataforma com maior share de ações desses criadores no primeiro semestre de 2021. Já entre as plataformas de streaming, a análise indica que esses canais de vídeos relacionados a games receberam 841 mil ações no Facebook, Twitter e Instagram de janeiro a junho de 2021. O Twitch foi responsável por 96% do engajamento, sendo o destaque entre as plataformas.

Em relação aos times de E-sports, o Instagram é responsável pelo maior engajamento, reportando crescimento 148% na taxa no primeiro semestre do ano. A plataforma também é destaque para os conteúdos sobre videogames, demonstrando crescimento de 12% em engajamento no período analisado pela Comscore.

O relatório completo da pesquisa O mercado de games no Brasil pode ser acessado em: [link].