Governo reduz em 10% Imposto de Importação sobre bens de capital e de informática e telecomunicações

Os ministérios da Economia e das Relações Exteriores  anunciaram recentemente a inserção na alíquota do Imposto de Importação de bens de capital (BK) e de Informática e telecomunicações (BIT). De acordo com o comunicado, a redução se justifica decorrente da crise da pandemia de Covid-19 e pela necessidade de poder contar, de forma imediata, com instrumentos que possam contribuir para aliviar seus efeitos negativos sobre a vida e a saúde da população brasileira.

 

Entretanto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em evento da Confederação Nacional do Comércio (CNC), que a medida está relacionada a uma tentativa de conter a alta de preços.

 

Para comentar sobre a redução do Imposto de bens de capital e as expectativas para o segmento, coloco à disposição Paulo Castelo Branco, economista, com mais de 30 anos de atuação no mercado de automação industrial e presidente-executivo da Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais). Para agendamento de entrevistas, entre em contato com Gabriela no e-mail gabriela@missaocomunicacao.com.br ou no telefone 11) 94798-1287(Whatsapp).

Por que o analytics vai revolucionar a qualidade da relação empresa cliente?

Uma das expectativas de todos nós é ser bem atendido pelas marcas, em qualquer ponto de contato, mas especialmente nos canais digitais. Do outro lado do balcão, a premissa de todo call center, seja de atendimento, vendas ou cobrança, é oferecer uma experiência de qualidade. Como em um jogo de xadrez, qualquer movimentação equivocada e seu negócio poderá perder negócios ou deixar de recuperar créditos, no caso de cobranças. Não à toa: segundo uma pesquisa da consultoria Nielsen, apenas 5% dos brasileiros são leais a produtos e marcas. Por isso, é muito importante definir algumas estratégias para garantir sucesso nesse relacionamento e a monitoria da qualidade baseada em analytics é uma das mais importantes.

 

Segundo estudo do Movimento Compre&Confie em parceria com Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a quarentena fez com que o faturamento do varejo digital crescesse 56,8% de janeiro a agosto deste ano, em relação ao mesmo período de 2020. Isso mostra um aumento considerável da concorrência no ambiente digital e como um atendimento de qualidade pode fazer grande diferença nesse cenário.

 

E a monitoria de qualidade tem papel decisivo para um relacionamento longevo e bem sucedido com os clientes de uma marca. Isso porque é responsável por identificar os gargalos na operação e traçar estratégias de melhorias. O acompanhamento contínuo permite uma visão ampla em busca da alta performance. Com a tecnologia de análise de dados como aliada, é possível saber quem é quem na sua linha de frente e aprimorar, cada vez de maneira personalizada, as habilidades dos operadores em busca da excelência no atendimento.

 

As melhores ferramentas de analytics conseguem extrair informações preciosas por meio de análise de voz e texto durante os contatos com os seus clientes, em qualquer formato (e-mail, chat, telefone). Com base nesses dados, a monitoria de qualidade torna-se ainda mais eficaz – especialmente quando há uma camada de automatização e inteligência artificial, o que permite aos gestores:

 

  • Identificar as dificuldades e necessidades de ajustes na sua equipe
  • Aplicar treinamentos pré-definidos e customizáveis em formato de Ensino à Distância (EAD)
  • Realizar provas personalizadas para cada agente
  • Avaliar a performance por meio de relatórios, gráficos, notas e insights

 

É muito importante que sejam traçadas estratégias fundamentadas em dados reais, e não apenas por amostragem ou suposições. Conforme vimos nos dados deste artigo, não dá mais para ficar atrelado a processos de gestão antigos e ultrapassados. As ferramentas de analytics têm o potencial de revolucionar a forma como as marcas relacionam-se com seus clientes a partir de uma gestão operacional mais eficiente e assertiva, com o adicional de estarem cada vez mais acessíveis e calibradas para linguagem natural em português brasileiro.

 

Agora, resta saber: os gaps da sua operação impactam nos resultados dos negócios? Se sim, talvez seja a hora de dar um próximo passo e tornar a tecnologia sua aliada.