Category Archives: Sem categoria

Troca de lideranças na Daimler Trucks & Buses

  • Ulrich Bastert, chefe mundial de Marketing, Vendas e Serviços ao Cliente da Daimler Buses, se aposentará em meados desse ano
  • Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina, assumirá seu lugar em 1º de junho
  • Karl Deppen será o novo presidente da Mercedes-Benz do Brasil a partir de maio

Após 35 anos na Daimler AG, Ulrich Bastert, chefe mundial de Marketing, Vendas e Serviços ao Cliente da Daimler Buses, se aposentará em 1º de julho de 2020. Philipp Schiemer, atual presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina, será o seu sucessor, enquanto Karl Deppen, que era chefe de Controlling na Mercedes-Benz AG, ficará à frente da Mercedes-Benz no Brasil.

“Agradeço profundamente a Ulrich Bastert por mais de três décadas de sucesso em diversas posições-chave na Daimler Trucks & Buses”, afirma Martin Daum, CEO da Daimler Truck AG. “Dono de um amplo conhecimento e uma de nossas lideranças mais fortes, Ulrich Bastert desfrutará de sua merecida aposentadoria. Sua postura empresarial e incansável dedicação ao cliente são exemplares. Desejamos ao executivo tudo de bom nessa nova etapa de sua vida. ”

“Com Philipp Schiemer, o departamento mundial de Marketing, Vendas e Serviços ao Cliente da Daimler Buses terá um executivo de veículos comerciais altamente competente e experiente. Em seus mais de 15 anos no Brasil, Philipp Schiemer devolveu para marca Mercedes-Benz à sua posição de liderança e reestruturou completamente a nossa empresa neste mercado estratégico. Estamos muito felizes por receber Philipp agora como membro do Board da Daimler Buses”, declara Till Oberwörder, chefe mundial da Daimler Buses.

“Karl Deppen é uma liderança internacionalmente reconhecida por sua ampla formação e enorme experiência no setor de veículos comerciais. Com ele, nossos negócios no Brasil estarão em excelentes mãos”, antecipa Stefan Buchner, membro do Board da Daimler Trucks AG responsável pela marca Mercedes-Benz e também pela empresa no Brasil.

“As nomeações mostram que a Daimler Trucks & Buses dispõe de um quadro de lideranças amplo e flexível”, afirma Martin Daum.

Ulrich Bastert ingressou no Grupo Daimler em 1985 e desempenhou diversas funções em veículos comerciais, entre outras, a de presidente da então chamada DaimlerChrysler AG na República Tcheca e a de chefe de Marketing e Vendas de veículos comerciais na França. De 2007 a 2015, como chefe de Marketing, Vendas e Serviços na Mercedes-Benz Trucks, Bastert foi responsável pela gestão de distribuição de caminhões e por todos os assuntos relacionados com a comunicação e marketing da marca Mercedes-Benz nesse segmento. Desde 2015, ele está à frente da área de negócios da Daimler Buses.

Philipp Schiemer começou sua carreira na Daimler em 1984 e ocupou diversas funções de liderança nas áreas de vendas e gestão de produtos na Alemanha e no Brasil até 1997. Também foi líder de Marketing e Vendas da marca smart. Em 2004, ele retornou ao Brasil e assumiu a chefia de vendas no país. Em 2009, foi promovido a Head de Marketing de Automóveis da Mercedes-Benz em Stuttgart, na Alemanha. Em seguida, assumiu seu cargo atual, respondendo desde 2013 como presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina.

O alemão Karl Deppen chegou ao Grupo Daimler em 1990 e ocupou diversos cargos de liderança nas áreas de Recursos Humanos, Compras e Logística até 2007, em geral com foco em veículos comerciais. Em virtude dos cargos que ocupou, morou por muitos anos nos EUA, na Turquia e no Japão. Em 2007, assumiu a gestão estratégica de projeto para os caminhões Atego e Atego BlueTec Hybrid. De 2011 a 2014, Karl Deppen foi responsável pela capacitação de lideranças em todo o mundo na Daimler, antes de assumir o cargo de CFO na Daimler China. Em seguida, assumiu sua posição atual, respondendo desde 2017 pelo controle de custos na Mercedes-Benz AG.

Setor da reparação automotiva ganha incentivo para competitividade

Um programa setorial de longo prazo começa a ser desenhado com o propósito de fomentar a competitividade do mercado da reparação automotiva, inicialmente, no Estado de São Paulo. Trata-se do Rota 45, cuja finalidade é preparar, capacitar, qualificar e certificar as oficinas de reparação mecânica de veículos e lojas de autopeças – empresas cadastradas com a CNAE 45, em preparação para as profundas mudanças do setor automotivo que já estão em curso, sinalizadas pelo programa federal Rota 2030 e por legislações federais como Lei da Liberdade Econômica, nova legislação trabalhista, nova previdência social, desburocratização da máquina pública e, principalmente, o novo perfil de cliente com a conexão por meios digitais. São mudanças significativas que certamente terão impacto direto no aftermarket automotivo.

O Rota 45 foi idealizado pelo Sindirepa-SP (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios) e pelo Sincopeças-SP (Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios para Veículos), em parceria com o IQA (Instituto da Qualidade Automotiva) e o Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), além de contar, no momento, com o apoio da Automec Feiras e as consultorias do Cesvi Brasil e do IAA (Instituto da Administração Automotiva).

Nesta parceria, o IQA, organismo acreditado pelo INMETRO, oferece serviços de qualificação e certificação que fomentam a melhoria contínua da qualidade de cada empresa na medida em que ampliam o conhecimento em relação aos novos processos de gestão e proporcionam condições de competitividade e maior visibilidade junto ao mercado. O IQA, atento às mudanças do mercado e na vanguarda dos processos da gestão da qualidade com foco na eficiência do negócio, entendeu o quão importante é esta iniciativa para o setor. Todo o trabalho se inicia com o diagnóstico sobre a situação da empresa, a partir do qual o gestor da oficina mecânica de veículos ou loja de autopeças recebe orientação sobre ações necessárias para melhoria dos processos, indicadas para a qualificação ou a certificação da qualidade.

Assim, o Rota 45 representa a ampliação do trabalho de incentivo à qualidade realizado no aftermarket por meio do PIQ (Programa de Incentivo da Qualidade), dedicado à certificação de oficinas, uma vez que agrega também lojas de autopeças, que terão mais possibilidades de serem certificadas com diversos benefícios, promovendo a qualidade de dois atores – oficinas e autopeças – fundamentais da cadeia, que precisam trabalhar em sinergia e estar preparados para as novas tecnologias automotivas e os avanços nos processos de gestão, a fim de proverem serviços de qualidade e com agilidade para um mercado cada vez mais exigente e qualificado.

Uma empresa certificada tem todas as condições de desenvolver negócios sustentáveis. Da mesma forma que a oficina de reparação mecânica de veículos precisa ter eficiência desde a recepção do cliente até a entrega do veículo, o varejista de autopeças precisa investir na melhoria contínua dos processos internos, do registro de produtos ao atendimento no balcão, de modo que possa entregar as autopeças corretas com a devida agilidade às oficinas para redução de erros nos processos de reparação automotiva.

Esta é uma oportunidade para o empresário revisitar o negócio com base nos pilares que sustentam um sistema de gestão orientado para a qualidade. Com a empresa certificada, o gestor passa a ter o controle dos processos com métodos de trabalho mais eficientes e colhe uma série de resultados, como aumento da produtividade, redução de custos e desperdícios, ampliação do faturamento e participação em licitações e tomadas de preço de organizações públicas e privadas.

Do Estado de São Paulo para o Brasil. Esta é a expectativa para o Rota 45, cujo movimento de inclusão será progressivo, de modo que microempresas de reparação de veículos e varejistas de autopeças de todo País serão inseridas e preparadas para a competitividade do setor automotivo, com reflexos positivos em toda cadeia de valor e sociedade, a partir da adequada manutenção dos veículos em circulação.

O IQA – Instituto da Qualidade Automotiva é um organismo de certificação sem fins lucrativos especializado em mobilidade. Criado em 1995 por entidades do setor e do governo, o IQA oferece soluções que fomentam a qualidade e a produtividade nos canais de produção e pós-vendas, como certificação de produtos, serviços e sistemas de gestão; treinamentos; manuais e ensaios de laboratório. É parceiro de organismos internacionais e acreditado pela CGCRE (Coordenação Geral de Acreditação) do Inmetro. Acesse o site www.iqa.org.br.

Transformação digital: especialista aponta SETE principais tendências para 2020

Transformação digital é o termo da vez e não será diferente em 2020. Mesmo com perspectivas de crescimento econômico pouco encorajadoras, muitas empresas já se deram conta de que precisam fazer investimentos em TI. Na falta de uma bola de cristal que funcione, alguns executivos têm se mostrado bastante inseguros quanto a definir um caminho a seguir. Na opinião de Adriano Filadoro, diretor-presidente da Online Data Cloud, é preciso analisar cada detalhe do cenário atual antes de fazer planos ou lançar novos produtos e serviços. “Qualquer negócio pode perder competitividade e ficar para trás se as principais tendências da transformação digital forem negligenciadas”, adverte. “Elas podem impactar tudo o que está em planejamento. A boa notícia é que não é tão difícil acompanhar os movimentos do mercado. Basta não perder o foco”.

A seguir, Filadoro aponta SETE principais tendências de Transformação Digital para 2020:

  1. Valorização  da experiência do cliente. “Independentemente do perfil do negócio, nunca antes o comportamento do cliente foi tão analisado. As empresas estão cada vez mais atentas à experiência do consumidor, avaliando suas preferências, o que influencia sua tomada de decisão e, inclusive, o que define sua infidelidade – trocando um serviço/produto por outro. Aliás, essa análise vem sendo bastante útil, também, na relação entre as empresas e seus talentos. É necessário conhecer o cliente, seja externo ou interno, a fim de se antecipar a suas decisões, oferecendo sempre algo irrecusável. Esse quesito tende a fazer a diferença – até mais do que preço e prazo”.
  2. Transformar dados em conhecimento. “Um dado isolado não significa nada. Ele só tem valor quando transformado em conhecimento. Este sim permite tomar uma decisão mais assertiva e com mais chances de sucesso. Ainda são poucas as empresas que sabem ler, interpretar e extrair valor dos dados gerados internamente ou ainda tirar proveito de dados externos para dinamizar seus negócios. Aquelas que conseguem obter novos insights, monitorando o negócio a partir dos dados atuais, otimizando os processos e monetizando o conhecimento adquirido através da análise dos dados estão na vanguarda dos acontecimentos. É essa análise de dados, levada a um patamar mais elevado (Data Science), que permitirá melhorar a experiência do cliente, agilizar operações e inovar em velocidade máxima”.
  3. Blockchain. “Essa é uma tendência que já veio forte neste ano, mas será ainda mais explorada em 2020. Trata-se de uma corrente de bancos de dados (blocos) em que um é conectado a outro através de um registro público (Public Ledger). Essa descentralização de registros aumenta a segurança das operações. Respeitado o tempo da curva de aprendizado, o blockchain é uma solução que pode ser implantada por uma equipe de TI ou ser contratada como serviço. Entre os ganhos principais estão: 1) Acesso a novas tecnologias; 2) Possibilidade de testar uma nova tecnologia sem necessariamente correr os riscos inerentes ao processo; 3) Suporte ao cliente; 4) Soluções compatíveis com o tamanho da empresa; 5) Redução de custos, especialmente de energia. E mais: se for detectado qualquer problema no processo, é simples voltar para o ponto de origem”.
  4. Tudo como serviço. “XaaS, expressando qualquer coisa como serviço, vai ganhar ainda mais importância no ano que se inicia. Se antes já estavam consolidados alguns modelos de serviço em nuvem, como  SaaS (software como serviço), PaaS (plataforma como serviço) ou ainda IaaS (infraestrutura como serviço), agora basicamente tudo pode estar disponível como serviço – enquanto continuamos a ver a evolução da nuvem em híbrida ou multicloud. Isso certamente está atrelado a um ganho de agilidade sem precedentes”.
  5. Inteligência artificial/ Machine Learning. “Machine Learning – ou Aprendizado das Máquinas – deriva da inteligência artificial e implica em computadores ou robôs programados para aprender a desempenhar algo que antes era restrito a humanos. Novos dados vão sendo gerados e transformados em informações que faltavam – ou até mesmo que nunca haviam sido consideradas em sua importância global. Isso certamente acaba encorajando equipes a melhorar o nível de desempenho profissional, entregando resultados muito mais próximos do nível de excelência desejado. Quando isso não acontece, a própria tecnologia está apta a detectar problemas e sugerir soluções de correção. Trata-se de um avanço útil e poderoso para as empresas”.
  6. 5G. “Enquanto uma ou outra operadora de telefonia móvel anuncia sua tecnologia 4,5G, a quinta geração da internet móvel vem aí. É certo que vários players dessa indústria estão fazendo o possível e o inimaginável para que em 2020 as pessoas tenham acesso ao 5G com tudo o que essa tecnologia implica, principalmente maior conectividade, velocidade e qualidade da comunicação em rede. Ainda mais do que isso, é o que estava faltando para impulsionar a Internet das Coisas (IoT). A nova geração de plataformas de IoT pode ajudar as empresas a combinar novas fontes de dados com as já tradicionais, examinando informações em tempo real. Esse tipo de iniciativa permite fazer novas correlações de dados e é fundamental para questionar o pensamento institucional, além de agilizar mudanças”.
  7. Multicloud. “A hospedagem tradicional de TI está cedendo cada vez mais espaço para a multicloud, que implica no uso de múltiplos serviços de nuvem. Essa é uma grande tendência para 2020. As empresas deixam de depender apenas de um fornecedor de nuvem, onde seus dados e serviços são armazenados e gerenciados, e passam a contar com uma gama maior de fornecedores. Esse é um passo enorme e de relativamente baixo custo.  O uso de múltiplas nuvens representa maior flexibilidade, inovação e inclusive conformidade regulatória. Trata-se de uma nova era de inovação nos negócios e que tem muito ainda que se desenvolver. Mas é um caminho sem volta, já que uma das virtudes da multicloud é desbloquear agilidade, eficiência e economia de custos sem precedentes”.

Fonte: Adriano Filadoro é formado em tecnologia com extensão em finanças pela Fundação Getúlio Vargas – onde atualmente cursa MBA em Big Data e Data Science. É diretor-presidente da Online Data Cloud, tendo sólida vivência em Tecnologia da Informação – mais de 20 anos de atuação na área de Segurança, Virtualização e Infraestrutura. www.onlinegroup.com.br 

Como construir uma boa presença digital para sua empresa

*Por Insight Trade

Com a digitalização mundial, estar presente nesse ambiente se torna cada dia mais necessário. A presença digital é o modo como as companhias se tornam visíveis e mantém o relacionamento com os clientes. Hoje, ter uma empresa fora das plataformas digitais se tornou um risco muito grande, podendo inclusive atingir a receita do negócio.

No entanto, ao contrário do que muitos pensam, presença digital não é apenas ter um site ou uma página nas redes sociais, mas é um processo que demanda tempo e é baseado em pesquisas de mercado, público e tendências, compartilhamento de conteúdo e aproximação do consumidor.

E como ter uma boa presença digital? Algumas práticas devem ser adotadas para construir da maneira certa a presença digital do seu negócio. São elas:

– Desenvolva um website responsivo: o site é o cartão de visita digital da sua empresa, portanto, desenvolva um portal com design, onde todas as informações sobre seus serviços estejam acessíveis.

– Escolha a rede social adequada: ganhar visibilidade nas redes sociais não é estar presente em todas elas, mas sim estar presente onde o seu público está. Avalie todas as possibilidades e estude a melhor estratégia para investir e impulsionar sua marca.

– Entregue conteúdo: depois de um aprofundamento na sua marca e público, produza conteúdos de interesse do target. É através dele que sua marca mostrará seus diferenciais, passará segurança e estreitará seu relacionamento com o consumidor.

– Invista em e-mail marketing: através de uma base segmentada, o e-mail marketing é uma maneira assertiva de interação entre uma empresa e seus clientes, uma vez que o usuário teve um real interesse e se cadastrou para receber materiais da sua marca.

Precisa de ajuda para desenhar sua estratégia digital? Então converse com a equipe da Insight Trade.

A importância do marketing digital para pequenas e médias empresas

*Por Insight Trade

Em um mundo cada vez mais digitalizado, não dar a atenção merecida aos canais online é ignorar uma ferramenta que poderá fazer toda a diferença para o negócio. O desenvolvimento de estratégia em marketing digital para pequenas e médias empresas se tornou uma necessidade e questão de sobrevivência no mercado, uma vez que boa parte do público nacional é atingido diretamente através das plataformas online.

Os benefícios do investimento em marketing digital vão além da presença em um dos ambientes mais frequentados atualmente. O valor investido em ferramentas online, se aplicado de forma estratégica, pode ser 60% mais baixo do que em canais convencionais, além de contar com a possibilidade de segmentar o público atingido pela marca – como por região, por exemplo – o que gera mais efetividade no negócio. É também com conteúdos relevantes e anúncios pontuais que a construção de base de dados para a geração de leads se torna mais concreta e legítima.

Além disso, com o marketing digital, as empresas conseguem medir e analisar com mais precisão e eficiência as métricas e resultados de cada campanha. Assim, o empresário poderá entender o que funciona para seu público e identificar investimentos que darão o melhor retorno para sua empresa.

Apesar do marketing digital ser item essencial para qualquer negócio, o marketing convencional não pode ser descartado. As duas vertentes devem se completar e se fortalecerem quando usadas de forma coordenada. Um bom plano de marketing digital deve ter como base a integração dos diversos canais disponíveis, tanto no online como no marketing convencional.

O marketing digital para pequenas e médias empresas já é uma realidade no Brasil e ignorar essa nova realidade do mundo pode custar muito caro para seu negócio. Não perca nas próximas edições contaremos o passo a passo para construir uma boa presença digital.

www.insighttrade.com.br

Para cada empresa fechada em 2019 outras três foram abertas, segundo Empresômetro

Maioria dos negócios criados e encerrados está na área varejista de vestuário

 

Julho de 2019 – Os últimos dados do Empresômetro, empresa brasileira de inteligência de mercado, mostram que para cada empresa que foi fechada este ano, três foram abertas.

“É uma tendência da economia brasileira. A busca pelo espaço no mercado, a necessidade de gerar renda e a facilidade de promover a regularização e cadastro de empresas faz com que o número aumente”, diz o CEO do Empresômetro, Otávio Amaral.

Nos últimos três anos, o comércio varejista de roupas e acessórios foi a atividade mais escolhida pelos empreendedores brasileiros, isso se reflete também na mortalidade das empresas.

“A consequência é a concorrência, o que, por sua vez, faz com que mais desses negócios fechem”, afirma Amaral, que acredita que até o final do ano esses números se mantenham.

Isso porque no ano de 2018 foram fechadas mais empresas do que abertas, um saldo negativo de 5%, mais de 2,4 milhões de cadastros foram encerrados naquele ano.

Desde 2014 a taxa de mortalidade foi subindo, até atingir o ápice no ano passado, mas 2019 começou com novo ânimo; além de mudanças na legislação, que trouxeram facilidades e redução da burocracia, e o contínuo acesso ao crédito.

“O que analisamos foi pura e simplesmente as empresas que tiveram seus cadastros no CNPJ encerrados, isto é, deixaram de existir de forma regular”, conta o CEO.

A média de crescimento dos últimos seis anos mostra que para cada empresa fechada, foram abertas 1,34. Veja a tabela comparativa abaixo.

 

ANO TOTAL DE EMPRESAS BAIXADAS TOTAL DE EMPRESAS ABERTAS
2014 567.368 1.193.401
2015 1.677.349 1.586.525
2016 1.420.367 1.717.190
2017 1.001.739 1.999.337
2018 2.478.767 2.345.345
2019 442.346 1.296.864

 

Para Amaral os dados somente ilustram um cenário comum em mercados como o das Américas, por exemplo, onde todos buscam uma oportunidade, mas nem sempre há o sucesso numa primeira empreitada.

“O empresário irá sofrer vários tombos pelo caminho, mas aquele que os superar e aprender com os erros irá prosperar, além de ajudar nosso país gerando renda e empregos”, conclui o empresário.

SOBRE O EMPRESÔMETRO                                                                                                                                      

O Empresômetro é uma empresa que oferece soluções de mercado B2B para toda empresa que almeja crescer com inteligência. Oferta soluções que utilizam a mais alta tecnologia da informação, garantindo segurança na tomada de decisão de gestores de grandes empresas, como também proporciona conhecimento de mercado para pequenas e médias empresas através da ferramenta online, Empresômetro Listas.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 2117-7300 ou pelo site www.empresometro.com.br

RDG Sociedade de Advogados potencializa recuperação de créditos tributários para associados do Sindirepa São Paulo

O escritório de advogados une forças com principal sindicato do setor da reparação automotiva para analisar a saúde fiscal da categoria

 

Com a complexidade da carga tributária, muitos contribuintes podem se deparar com grandes questionamentos e, em algumas situações, aferir pagamentos incorretos de tributos. Por classificação equivocada de produtos ou falta de conhecimento de regras da constituição, empresários de todos os setores podem não notar o impacto na receita de um pagamento fiscal realizado erroneamente.

 

No mercado reparação automotiva, essas questões não são diferentes. A saúde fiscal das oficinas mecânicas do país pode sofrer com o pagamento equivocado de tributos. E foi, a partir disso, que o RDG Sociedade de Advogados decidiu unir forças com o principal sindicato da categoria no Estado de São Paulo, o Sindirepa-SP (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessório do Estado de São Paulo). O intuito é gerar ao setor uma oportunidade de analisar tributos pagos para então conquistar a recuperação de créditos fiscais.

 

A parceria levará aos proprietários de oficinas mecânicas associadas ao Sindirepa-SP a metodologia exclusiva de análise tributária desenvolvida pelo RDG. Ela se baseia em um sistema de gerenciamento que garante a rápida classificação e apuração de créditos tributários, possibilitando a recuperação fiscal em até 60 dias. Além de proporcionar mais agilidade e produtividade, esse método reduz consideravelmente a burocracia no processo. Ao final, o empresário poderá ter o ressarcimento e créditos acumulados de tributos como ICMS-ST, INSS, etc.

 

O processo de recuperação tributária com a metodologia RDG não tem custos iniciais. Na parceria entre o escritório e sindicato, o RDG realizará a análise completa das finanças dos associados do Sindirepa-SP. Após a efetivação do processo e o êxito na recuperação dos créditos, as oficinas contarão com condições exclusivas.

 

Para mais informações sobre recuperação tributária e a metodologia do RDG, acesse: insighttrade.com.br/recuperacao-tributaria/.

 

Sobre o RDG Sociedade de Advogados

O RDG Sociedade de Advogados é um escritório atuante nas mais diversas áreas do Direito que está há de mais de duas décadas no mercado. Conta com um time multidisciplinar composto por profissionais altamente qualificados, aptos a atender demandas de qualquer natureza e complexidade. Com foco no cliente, o RDG busca as resoluções mais eficientes, rápidas e econômicas e sempre prima pela ética e bom senso.

 

Informações para a imprensa

Daniela Nórcia

daniela.norcia@insighttrade.com.br

Caroline Schulz

caroline.schulz@insighttrade.com.br

(11) 2060-1034

 

Canal 100% Motor mostra soluções da Rede Euro Repar na Automec 2019

Canal com mais de 2 mil inscritos, o 100% Motor visitou a Automec 2019 e conversou com a Rede Euro Repar, onde mostrou o crescimento da marca no mercado brasileiro, além de seu posicionamento sobre a chegada dos veículos elétricos. Acompanhe a entrevista feita Eduardo Grassiotto, responsável pelo desenvolvimento e operações da Rede:

Ponto de Vendas Virtual com imagem em 360° aumenta a experiência de consumo em e-commerces

Aplicativo desenvolvido pelo SENAI CETIQT pode ser conhecido no Espaço Fashion Lab

 

É fato que os consumidores estão, cada vez mais, preferindo as compras virtuais às físicas. Até 2021, segundo uma pesquisa do Google, 67,4 milhões de pessoas farão sua primeira compra pela Internet. E se ao invés de elas apenas escolherem peças estáticas em uma página de internet pudessem passear virtualmente por uma loja de verdade? Esta é a proposta do ponto de vendas virtual, um aplicativo desenvolvido pelo SENAI CETIQT para ser disponibilizado às empresas, sejam elas e-commerce ou não.

Por meio de um celular acoplado aos óculos de realidade virtual, o Ponto de Experiência de Consumo, como é chamado o app, permite que o consumidor veja, por exemplo, as araras de roupas e, ao mirar com os olhos em uma peça, veja sua descrição, cartela de cores, tamanhos. Ele pode também girar a imagem em 360° para ter uma visão completa da roupa. Gostando, poderá colocá-la em seu carrinho e continuar ‘passeando’ pela loja, repetindo o gesto a cada peça que se interessar.

“Com o ponto de vendas em realidade virtual o consumidor sai completamente do lugar que está e entra em outro ambiente, ampliando sua experiência de consumo com a marca”, comenta Angélica Coelho, consultora técnica em Moda do SENAI CETIQT.

Além de ser usado para vendas, o ponto de vendas virtual pode ser útil também para experimentação virtual, estratégias de visual merchandising e marketing. Angélica Coelho exemplifica: “um novo empresário, que está começando agora e ainda não tem capital para investir em um ponto de vendas físico, ou até mesmo aquele que precisa testar a comunicação de sua loja, pode estudar experiências e o comportamento do consumidor através deste programa”. 

Testar novas experiências e tendências é urgente. De acordo com a pesquisa feita pelo Google, as ações omnichannel, que integram o físico e virtual, terão crescimento ainda maior nos próximos anos, visto que os consumidores multicanais gastam até 40% a mais e são mais fiéis se comparados àqueles que fazem compras apenas em um canal.

Roupas, calçados e beleza são apontados como os nichos de maior crescimento no e-commerce, com índice de 17% ao ano – acima da média, que é de 12,4%. Com diversas aplicabilidades, o aplicativo desenvolvido pelo CETIQT vem auxiliar a indústria a acompanhar esse crescimento. Em um outro aspecto, treinar equipes em pontos diferentes é um desafio, e por meio do app, será possível assistir à mesma aula em tempo real, como se todos estivessem no mesmo ambiente. Outro exemplo seria o desfile de uma nova coleção. Com o programa, uma marca consegue apresentar suas peças para diversos públicos alocados em locais distintos.

“Desenvolvemos propostas modeladas para cada empresa, de acordo com sua necessidade e linguagem próprias, uma vez que cada uma delas tem uma forma distinta de se comunicar. O objetivo é ampliar o potencial de cada marca”, destaca a consultora do CETIQT.

E se engana quem pensa que para desfrutar de toda essa experiência virtual é preciso investir em equipamentos específicos. Por ser um app, o programa roda em qualquer smartphone, que pode ser acoplado a um dos diversos modelos de óculos de realidade virtual disponíveis na internet, para montagem caseira, em papelão.

Ponto de Experiência de Consumo está disponível para demonstração no Fashion Lab, o primeiro espaço colaborativo de experimentação tecnológica no setor têxtil, de confecção e moda, situado na unidade Riachuelo do SENAI CETIQT, no Rio de Janeiro.

Sobre o Fashion Lab

Desenvolvido pelo SENAI CETIQT, o Fashion Lab conta com 400m² de infraestrutura destinada à criatividade e inovação. É composto por maquinário de alta tecnologia para criação e implementação de novos produtos e processos.

Com espaço integrados, o Fashion Lab possui dois setores: uma área com máquinas para prototipagem, como sistemas virtuais, impressoras 3D e 4D multimateriais, fresadora de alta precisão, cortadora a laser multimateriais e cortadora de vinil; e, o outro lado, uma Fábrica Modelo, com maquinário completo e novas tecnologias para experimentação de processos produtivos mais enxutos de confecção. Neste espaço, são ofertados serviços como aplicação do conceito Lean, fluxo contínuo, estudo de tempos e métodos, balanceamento da célula, menor desperdício, maior produtividade; além de integração dos processos, padronização do produto com qualidade assegurada, confiabilidade nos processos, e menor índice de não conformidade devido a otimização dos métodos.

Ford cria carrinho de supermercado que freia automaticamente para evitar acidentes com crianças

A Ford apresentou na Europa o protótipo de um carrinho de supermercado equipado com sistema de freio automático para evitar que as crianças, ao brincar de correr entre as gôndolas, acabem gerando acidentes – veja o vídeo. O objetivo é tornar as compras menos estressantes quando os pais vão ao supermercado com os filhos pequenos.

A criação é inspirada na tecnologia de assistência autônoma de frenagem da marca, disponível em modelos como o Fusion e o Edge ST, que usa uma câmera dianteira e um radar para detectar veículos, pedestres e ciclistas na pista e aplica os freios automaticamente se o motorista não responder aos alertas. De modo semelhante, o “Carrinho Autofrenante” tem um sensor que faz a varredura de pessoas e objetos à frente e aplica os freios automaticamente quando a possibilidade de uma colisão é detectada.

O protótipo faz parte de uma série da Ford chamada “Intervenções”, que utiliza a experiência e tecnologias desenvolvidas pela marca no setor automotivo para resolver problemas do dia a dia em outras áreas. Outras criações recentes incluídas nessa série são uma cama inteligente que evita a invasão de espaço entre os parceiros (inspirada no sistema de permanência em faxia) e uma casinha que protege os cães do barulho de fogos (sistema de cancelamento de ruído).

“O assistente autônomo de frenagem pode ajudar os motoristas a evitar ou atenuar as consequências de uma colisão. Pensamos que mostrar como um conceito semelhante poderia ser aplicado a um carrinho de supermercado seria uma ótima forma de destacar uma tecnologia realmente útil para os motoristas”, diz Anthony Ireson, diretor de Comunicação de Marketing da Ford Europa.