Tag Archives: #artigo #norcia #carlaloretta

Meu negócio vale mais que o Brasil em crise – por Carla Nórcia

Não sei muito bem quanto vou faturar esse ano, meu negócio é imprevisível.  Sei direito quanto faturei o ano passado. E sei que vou faturar mais do que no ano passado. Tá bem ? Tá ótimo ! Há quem quebre, quem se desespere pela falta do emprego, há quem se entregue e há quem mande a culpa para o outro.

Então escuto “a questão não é como vivemos as experiências mas, como nos posicionamos em relação à elas”. Bingo! Posso ir para Disney e achar uma chateação se eu quiser achar. Posso assistir o carnaval no Rio e achar a coisa mais sem graça do planeta se eu quiser. Posso comer a comida da minha mãe e achar a mais sonsa de todas se eu quiser. Posso fazer o meu dia ser chatíssimo se eu quiser. Mas, posso me posicionar com tranquilidade diante da dificuldade, com animação diante da perda sucessiva, com foco no meio do ruído, com amor no meio do desprezo e com…no meio do…

Eu escolhi sempre completar essa frase.

Complete também e seja generoso com você, vai valer a pena!

Seu sucesso te agradece e sim, também quem te conhece !

Cineminha de segunda – por Carla Nórcia

Uma vez avisei meu chefe, em plena segunda, que iria ao cinema, ele respondeu:
– Já fez tudo que tinha que fazer ?
Eu respondi:
– Não, mas vou mesmo assim, porque se ficar esperando acabar o que tenho que fazer, não vou ao cinema esse ano.
Ele riu e disse :
– Vai assistir o que?
Virei as costas, peguei a bolsa e saí andando.
No caminho liguei para uma amiga e fiz o convite
– Estou indo no cinema, vou assistir um filme de aventura, vamos?
Ela fez um silêncio absurdo do lado de lá da linha. Perguntei de novo:
– Vamos ?
– Vou avisar minha sócia.
Uns quarenta minutos depois nos encontramos e ela parecia uma prisioneira em fuga.

Assistimos um filme besteirol, comemos pipoca, rimos muito, depois tomamos sorvete e voltamos para casa com a sensação de que tínhamos feito algo meio criminoso mas, que tinha sido ótimo.
No dia seguinte estava tudo igual na minha mesa, meu chefe me cumprimentou, como sempre fazia e tudo seguiu sem nenhuma surpresa. A diferença: eu estava bem mais feliz, mais jovem alguns anos e com ainda mais vontade de fazer o que era minha responsabilidade.

Sabe qual o problema ? Tem coisa que aprendemos tarde !
Então, antes hoje do que quando meu corpo e mente não derem conta de me levar !